July Garcia abdica de trabalho CLT e encontra solução financeira na Privacy

July Garcia abdica de trabalho CLT e encontra solução financeira na Privacy

Acho que a melhor coisa que poderiam ter me dado é o fato de ser fácil de mexer, porque isso é demais!”, afirmou a criadora

July Garcia encontrou na Privacy uma forma de escapar do trabalho tradicional. A jovem de 21 anos buscava se tornar veterinária, mas experiências vividas a fizeram se decepcionar com a área e viu então sua atuação na plataforma render frutos extremamente positivos.

Moradora de Sorocaba, July sempre gostou de trabalhar, independente da área. Quando ainda era adolescente, ajudava no serviço de sua mãe em uma loja. “Desde pequenininha, meu sonho sempre foi trabalhar. Alguém deveria ter conversado com essa criança”, brincou.

“Quando fiz 15 anos comecei a fazer uns trabalhinhos com minha mãe, ajudava ela na loja, ganhava um pouquinho. Não era nada muito sério, não era obrigada a estar lá, mas eu fazia porque gostava de ter meu dinheiro e ser independente”, comentou.

Aos 18, começou a trabalhar em um hotel de cachorros como monitora e posteriormente passou para a área de banho e tosa. “Desde pequena sempre gostei muito de animal, então eu estava familiarizada, gostava do que eu fazia”, destacou.

O amor pelos animais era tão grande que July tinha vontade de cursar veterinária, mas o alto custo da faculdade e outros aspectos da profissão acabaram por decepcioná-la, o que a fez desistir do plano.

“A faculdade é muito cara, eu e meus pais não tínhamos condição de pagar, não consegui uma bolsa suficiente. Então aquele sonho foi deixado de lado, não achei que fosse possível. Depois comecei a analisar outras coisas, o salário é muito injusto, porque você paga horrores na faculdade, trabalha muito e não recebe o suficiente para isso”, contou.

“As pessoas pensam, ‘você está fazendo pelo bichinho’, então acham que você tem uma obrigação. Eles esquecem que existe um gasto com os recursos que são usados. Trabalhei um tempo em uma clínica, chegavam pessoas que resgatavam um cachorrinho de rua, levavam para o meu patrão e falavam: ‘Cuidem, não tenho dinheiro para pagar, vou embora’. E se ele dissesse que não podia, porque o tratamento tem custo, e não é barato, as pessoas o chamavam de monstro”, ressaltou.

Antes de começar a vender seu conteúdo na Privacy, July chegou a trabalhar como vendedora e também como atendente de telemarketing: “Não estava mais aguentando a vida CLT, estava sugando minha alma, e então eu conheci a Privacy”.

A influenciadora destacou as características positivas da rede e afirmou que já faturou mais de R$ 50 mil, fato que lhe rendeu inclusive um troféu: “Acho que a melhor coisa que poderiam ter me dado é o fato de ser fácil de mexer, porque isso é demais! Simples e prática, sempre que precisei de suporte me deram”, disse.

“Estou quase batendo R$ 100 mil. Parte do dinheiro já foi investido. Sei que ainda tem muito mais por vir, mas para mim, que ganhava mil reais por mês… Nunca imaginei chegar a isso em um ano”, completou.

Em seu tempo livre, Jully contou que gosta de experimentar restaurantes novos e que adora assistir séries e animes. Além disso, revelou ser uma fanática pelo mundo dos games: “Sou meio nerdona, gosto de jogar video-game, assistir séries e animes. Ou estou assistindo, ou estou jogando, ou estou lendo”.

Tags

Últimos Posts